Viagem a Portugal dos estudantes de Lençóis e região marca mais um ano de sucesso do projeto “Era Uma Vez… Brasil”

11/12/2019 | Comunidade



Portugal Lençóis Brasil

Contribuir para a formação e o desenvolvimento de cidadãos mais conscientes e engajados com as questões da sociedade faz parte da filosofia da empresa Lwart Lubrificantes, que patrocina desde 2016 o projeto “Era Uma Vez…Brasil”. Desenvolvido pela Origem Produções, o projeto é um programa de atividades que tem o objetivo de colaborar com o desenvolvimento da cultura nacional, promovendo o enriquecimento dos alunos e professores envolvidos, por meio do contato com diferentes linguagens artístico-culturais, e estimular a compreensão dos alunos sobre a história do Brasil e seus reflexos atuais.

O balanço do “Era Uma Vez…Brasil” é muito positivo. Nas três edições realizadas, participaram cerca de 2 mil alunos do ensino público, 30 professores das cidades de Lençóis Paulista e Macatuba e levou 57 estudantes para o intercâmbio em Lisboa, capital portuguesa. Em 2019, após a viagem realizada no mês de novembro, acontece neste mês a última etapa – ‘Era Uma Vez… Comunidade’, novidade deste ano.

Para Laura Camara, gerente de Recursos Humanos e Comunicação Corporativa da Lwart Lubrificantes, o balanço destes três anos de “Era Uma Vez… Brasil” é totalmente positivo. “Tanto no que se refere ao aumento do interesse dos jovens em participar do projeto e serem escolhidos para o intercâmbio como no aprendizado sobre a história e a cultura do país. Sentimos um orgulho muito grande de ter acredito nesta iniciativa desde o começo. Além de contribuirmos para a formação de cidadãos mais conscientes, podemos ver o desenvolvimento deles como pessoas, por meio de uma experiência que ficará marcada para sempre em suas vidas”, observa a gerente.

O coordenador pedagógico do “Era Uma Vez… Brasil”, Guilherme Ramos Parreira, concorda com Laura e reforça a importância das vivências realizadas com os alunos durante o projeto. “Os participantes ao longo do processo passam por experiências que eles não imaginavam ter na vida e isso se traduz em cada indivíduo de uma forma diferente, mas sempre para melhor. Eles ganham em aprendizado com novas perspectivas sobre a formação do nosso país e, também, em relacionamento, pois na etapa intercâmbio eles convivem com pessoas de diferentes partes do Brasil e conhecem alunos de vários lugares do mundo. Tudo isso favorece a formação de cidadãos mais críticos e responsáveis por seu papel social”, declara.

Portugal Lençóis Brasil

Percepções

Bianca Santos Barbosa, 13, aluna da Escola Lina Bosi Canova, amou a vivência em Portugal e ficou impressionada com a organização de Lisboa. “O projeto me deu um senso crítico maior para as coisas, antes, quando eu via uma coisa errada, simplesmente ficava calada, só pensava que aquela pessoa deveria procurar mais conhecimento… hoje, eu vejo que as coisas estão erradas e se me incomodam eu falo! Com o projeto aprendi muito mais sobre o racismo, xenofobia, feminismo… tudo! O projeto meio que está me preparando para a vida! “, comentou a estudante.

Já Caroline Vitória de Mattos e Souza, 14, aluna da escola Idalina Canova de Barros, tem certeza que irá compartilhar tudo que aprendeu na viagem com sua comunidade. “O que foi mais interessante é que nós conseguimos sair somente dos livros e do ambiente escolar e realmente visualizar, estar presente nos lugares onde os fatos ocorreram. A cada lugar que visitado fiquei encantada só de imaginar que estava pisando no lugar onde, no passado, viviam reis, rainhas e nobres”, detalhou.

As etapas do Projeto Era Uma Vez… Brasil

Após participarem da primeira etapa – Fatos Históricos, que qualificou professores de história para estimularem seus alunos com novos olhares sobre a história do Brasil, foi feita a seleção dos 100 melhores alunos do oitavo ano do ensino fundamental a partir dos trabalhos apresentados. Outros 200 estudantes de Salvador (BA), Mata de São João (BA) e Belo Jardim (PE) também participaram da segunda etapa – Campus.

Na segunda etapa – Campus, os alunos e professores ficaram acampados e tiveram o a oportunidade de interagir com os demais participantes de São Paulo por meio de linguagens artísticas, como oficinas de teatro, música, capoeira e audiovisual. E, ainda, participaram de vivências com povos das etnias indígenas e afro-brasileiras. O objetivo foi a construção coletiva de filmes de curta-metragem sobre a temática “O Povo Brasileiro”, entre outras vivências culturais acerca das matrizes Afro e Indígena.

Os alunos que mais se desenvolverem ao longo dessa semana foram selecionados para a terceira etapa – Intercâmbio Cultural, que os levou por 10 dias, em novembro, para Portugal, onde conheceram os caminhos percorridos pela Corte Portuguesa até a vinda ao Brasil, em 1808. Os selecionados puderam reviver a experiência de Dom João e visitar escolas portuguesas para trocar experiências com estudantes da mesma idade, sobre a História e as características que unem os dois países. A experiência tem como base o livro “1808”, de Laurentino Gomes. Além das visitas a castelos, palácios, museus, bibliotecas e centros culturais, o grupo de adolescentes apresentou os curtas metragens produzidos na segunda etapa do projeto e divulgar o livro de HQs junto às escolas e demais locais visitados.

Para encerrar o projeto em 2019, a Quarta Etapa – “Era uma vez… Comunidade”, acontece no mês de dezembro, em Lençóis Paulista. A ideia é estimular os participantes a utilizarem o conhecimento adquirido ao longo do ano para apresentar um projeto que, adaptado à realidade de cada um, impacte a comunidade onde vivem, seja da rua, do bairro ou da cidade. Assim, por meio da continuidade, promoverá ações de pertencimento comunitário e cidadania e dará a cada estudante o poder de ser um agente de transformação social também para outras pessoas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked * *

*

14 − sete =