Por que a pandemia de COVID-19 não é boa para o meio ambiente?

23/06/2020 | Lwart Lubrificantes



pandemia COVID-19 meio ambiente

Diversas são as notícias relacionando impactos positivos do coronavírus (COVID-19) ao meio ambiente e a qualidade do ambiente urbano, como, por exemplo, a melhora na qualidade do ar em algumas localidades. No entanto, os dados divulgados no 50º aniversário do Dia da Terra – 22 de abril – mostram que o dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa continuam atingindo níveis recordes. Em abril de 2020 a concentração média de CO2 na atmosfera era de 416,21 partes por 1 milhão (ppm), a mais alta desde o início das medições, que começaram em 1958.

De acordo com o chefe da agência meteorológica da ONU, “a queda registrada de 6% nas emissões de gases de efeito estufa, associada à crise econômica global, causada pela pandemia de COVID-19, é apenas uma ‘boa notícia a curto prazo”. O que, no entanto, não deverá interromper as mudanças climáticas e a necessidade de uma ação aplicada de forma sustentada. Os níveis de dióxido de carbono foram 18% maiores de 2015 a 2019 do que nos cinco anos anteriores. Quando a economia global se recuperar, as emissões devem voltar ao normal.

Queda de 6% é boa notícia a curto prazo

“Por exemplo, as indústrias podem tentar compensar o tempo perdido com uma produção ainda maior”, comentou François Gemenne, cientista político e pesquisador ambiental da Universidade de Liège, na Bélgica. Se o vírus deixa as pessoas com medo do transporte público, isso pode indicar um uso maior do carro pelas pessoas.

Além disso, “muitos governos estarão dispostos a dar um novo começo à indústria de combustíveis fósseis por ser a indústria imediatamente disponível”, disse Gemenne. Com a recessão iminente e os mercados financeiros fortemente atingidos, analistas preveem que os investimentos em energia eólica e solar sejam reduzidos.

Desta forma, os impactos que a crise mundial pode trazer ao meio ambiente podem ser significativos e ameaçar a transição a uma economia mais verde, uma vez que poderá fomentar ações que estão mais facilmente disponíveis e que não necessariamente eram os caminhos planejados para uma economia alinhada com uma baixa geração de carbono, menor geração de resíduos etc.

Neste contexto, temos como exemplo positivo a atividade da Lwart Lubrificantes, que em meio à crise mundial, continua coletando e rerrefinando o óleo lubrificante usado ou contaminado (OLUC). Uma atividade importante para garantir que um resíduo (óleo lubrificante), que possui alto potencial de contaminação ao entrar em contato com a água, solo e ar, não cause maiores prejuízos ao meio ambiente e à sociedade.

Fonte: https://news.un.org/pt/story/2020/04/1711282

Fonte: https://www.nationalgeographicbrasil.com/ciencia/2020/04/poluicao-pandemia-coronavirus-india-eua-isolamento-social-morte-qualidade-ar

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-52182154

Fonte: https://nacoesunidas.org/surto-de-coronavirus-e-reflexo-da-degradacao-ambiental-afirma-pnuma/

Fonte: https://nacoesunidas.org/concentracao-global-de-co2-bate-recorde-mesmo-durante-crise-da-covid-19/

Fonte: https://nacoesunidas.org/queda-nas-emissoes-devido-a-pandemia-nao-ira-interromper-mudancas-climaticas-diz-onu/





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

2 + 10 =