Óleo lubrificante usado desviado poderia aumentar a produção de rerrefino

04/10/2016 | Lwart Lubrificantes



Thiago Trecenti, diretor da Lwart Lubrificantes, palestra no 7º Lubgrax Meeting – Fórum Executivo e de Negócios em Lubrificantes, Fluidos, Óleos e Graxas

Thiago Trecenti, diretor da Lwart Lubrificantes, palestra no 7º Lubgrax Meeting – Fórum Executivo e de Negócios em Lubrificantes, Fluidos, Óleos e Graxas

A coleta clandestina e destinação ilícita do óleo lubrificante usado (OLUC) no Brasil é estimada em pelo menos 150 milhões de litros por ano. A destinação correta deste óleo aumentaria a produção de rerrefino. Esta constatação foi um dos destaques da palestra do diretor da Lwart Lubrificantes, Thiago Trecenti, proferida no 7º Lubgrax Meeting – Fórum Executivo e de Negócios em Lubrificantes, Fluidos, Óleos e Graxas, realizado em agosto passado em São Paulo.

Segundo Thiago, o setor de rerrefino tem espaço para crescer, mas esbarra na falta de conscientização da população sobre a importância do destino correto deste resíduo e fiscalização pelas autoridades competentes para bloquear a ação de coletores clandestinos. “O setor de rerrefino poderia ter um crescimento em relação ao que existe de matéria prima para processar. Isso ajudaria a reduzir as importações de óleos básicos e contribuiria para uma balança econômica mais positiva, além de um ambiente mais seguro e protegido”.

Perigo de danos ambientais

O diretor da Lwart Lubrificantes ressalta que a maior parte do óleo lubrificante usado desviado vai para a queima, considerada ilegal no Brasil. Os riscos de danos ambientais aumentam exponencialmente. “A coleta sem autorização da ANP e órgão ambientais, realizada por veículos inadequados que transportam e armazenam um resíduo perigoso e em condições precárias, podem gerar impactos ambientais muito nocivos”.

Thiago elogiou o trabalho feito recentemente pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) que apresentou ao setor de coleta e rerrefino um mapa da coleta do óleo lubrificante usado. “O levantamento da ANP mostra que 70% dos municípios brasileiros – ou seja, quase quatro mil localidades – têm coleta do óleo lubrificante usado regularmente. Estamos falando de coletores autorizados pela Agência. E as cidades que por ventura não foram atendidas, são de interesse e de investimentos do setor”, afirma.

Assista a palestra completa de Thiago Trecenti no vídeo abaixo:

 




COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked * *

*

catorze − 3 =