Ciclo do óleo lubrificante usado continua após sair do motor

05/06/2017 | Lwart Lubrificantes



Ciclo óleo lubrificante usado continua após sair motor

Trabalho importante da Lwart Lubrificantes dá o destino correto ao óleo lubrificante usado

O agravamento da poluição e o aumento da conscientização sobre as questões ambientais, resultou no estabelecimento de padrões mais rigorosos de qualidade ambiental no mundo todo. Com isso, soluções visando a reciclagem dos resíduos e o seu uso em outras cadeias produtivas vem sendo amplamente pesquisadas e desenvolvidas.

A tecnologia do rerrefino de óleo lubrificante usado é uma delas e possui relevância porque a indústria do petróleo e seus derivados são essenciais para a economia, uma vez que este é o principal recurso da matriz energética mundial.

Quem possui carro, moto ou caminhão já está habituado a realizar a troca do óleo lubrificante do veículo periodicamente. Essa substituição é necessária porque, com o passar do tempo, o óleo tem a sua capacidade de lubrificação prejudicada, podendo causar danos ao motor. Mas o que acontece com o óleo usado retirado, que fica armazenado no posto de troca?

Após encerrar a sua vida útil na lubrificação do motor, o óleo lubrificante usado se torna um resíduo perigoso e com potencial contaminante ao meio ambiente, não podendo ser descartado de qualquer maneira ou em qualquer lugar. Nunca utilizado como combustível ou queimado. Por esse motivo, órgãos ambientais e reguladores da indústria do petróleo, combustíveis e derivados determinam que o único destino adequado para este resíduo é o rerrefino, processo que transforma o óleo usado em óleo mineral básico novamente, resgatando as suas propriedades originais.

Isto é possível porque, durante o uso do óleo lubrificante, os aditivos se degradam, enquanto a sua base mineral, derivada do petróleo, continua com as propriedades originais preservadas, possibilitando que seja recuperada por meio do rerrefino e reutilizada como matéria-prima para a fabricação de óleos lubrificantes acabados que irão reabastecer o mercado novamente. Tem-se a verdadeira contribuição para a moderna expressão de economia circular.

Segundo informações da Lwart Lubrificantes, empresa com sede em Lençóis Paulista (SP) que é líder em rerrefino na América Latina, o óleo lubrificante disponibilizado para o consumidor final, pronto para ser usado em veículos ou máquinas industriais, é composto por 90% de óleo mineral básico, que pode ser obtido por meio do rerrefino, e 10% de aditivos.

Óleo mineral básico, matéria prima para óleo lubrificante formulado
Óleo mineral básico

Óleo desviado poderia aumentar a produção

No Brasil, estima-se que mais de 200 milhões de litros de óleo por ano não são destinados ao tratamento correto por meio do rerrefino, sendo coletado clandestinamente é destinado de forma inadequada, para outros fins ilicitamente. Se esse volume fosse destinado à reciclagem, a produção do óleo rerrefinado teria um incremento substancial, gerando mais riqueza para o país.

Segundo Thiago Trecenti, diretor da Lwart Lubrificantes, o setor de coleta e reciclagem (rerrefino) tem espaço para crescer, mas esbarra em questões culturais e efetividade de políticas públicas sobre a importância do destino correto deste resíduo e na falta de fiscalização por parte das autoridades. “O setor de rerrefino poderia ter um crescimento em relação ao que existe de matéria prima para processar. Isso ajudaria a reduzir as importações de óleos básicos e contribuiria para uma balança econômica mais positiva, além de um ambiente mais seguro e protegido”.

Meio Ambiente

O processo de rerrefino diminui a necessidade de extração de petróleo e evita o descarte inadequado do óleo lubrificante usado que pode trazer enormes danos ao meio ambiente. Apenas 1 litro de óleo lubrificante usado pode contaminar 1 milhão de litros de água, quantia que uma pessoa leva 14 anos para consumir.

Se descartado no meio ambiente, o óleo lubrificante usado contamina o solo, que fica inutilizável para agricultura por décadas. Ele também pode contaminar a água e os lençóis freáticos e, caso seja descartado na rede de esgoto, inviabiliza o seu tratamento. A queima indiscriminada do óleo pode agravar o efeito estufa e causar danos à pele e ao sistema respiratório em razão da liberação de gases tóxicos.

Consciência coletiva

Recuperar a máxima quantidade possível de óleo lubrificante básico por meio do rerrefino depende da atuação da população e também de quem trabalha com troca de óleo: postos de serviços, supertrocas, concessionárias, transportadoras e indústrias. Os geradores devem cuidar para que o óleo retirado do veículo ou equipamento fique corretamente armazenado enquanto espera sua destinação. Além disso, é fundamental entregar o óleo usado a um coletor devidamente autorizado pelos órgãos ambientais e pela ANP.

Isso significa que quem é dono de um automóvel ou de um equipamento que utiliza óleo lubrificante tem o dever de escolher um serviço de troca que atenda a legislação ambiental e possua condições de armazenagem do óleo. Todos podem contribuir, ficando sempre de olho no óleo!




COMENTÁRIOS

  1. Excelente trabalho!

    Vocês coletariam o óleo com pessoa física ou só jurídica?
    Faço a coleta em pequenas oficinas na região e armzeno em bombas de 1.000lts.

    1. A Lwart Lubrificantes agradece sua participação em nosso blog! Nós coletamos sim o óleo lubrificante usado/contaminado em pessoas físicas e gostaríamos de entender melhor seu questionamento. Esperamos o seu contato pelo 0800.701.0088.

Deixe uma resposta para Blog Lwart Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked * *

*

15 − quinze =